quarta-feira, 16 de junho de 2010

O Pescador Flautista...

O PESCADOR FLAUTISTA

Havia um pescador que se divertia tocando sua flauta. Certo dia, ele foi até uma praia, levando suas redes de pesca e o instrumento musical. Quando chegou à praia, ele se assentou sobre uma rocha, a qual se projetava sobre o mar, e logo começou a tocar a flauta, e tanto praticou a arte de soprar no delicado instrumento que acabou se tornando um instrumentista apreciado por quantos o ouvissem executar qualquer das músicas do seu repertório.

Um dia lhe disseram que até os peixes viriam até ele para ouvir mais de perto o som da sua flauta, e ele acreditou. Tanto que certo dia, quando um cardume de tainhas se aproximou da praia, Severino pegou o instrumento e começou a tocar uma música alegre e convidativa, certo de que os peixes acabariam saltando da água para a areia, dispostos a dançar ao som dos acordes musicais. Mas eles passaram e se foram sem darem a menor importância ao instrumentista e sua melodia.

Mas voltaram no dia seguinte, e dessa vez o pescador resolveu ser apenas o pescador. Pegou a rede e com ela apanhou um grande número de peixes, que arrastou para terra firme. E ao vê-los saltando e batendo com o rabo na areia, ele sorriu satisfeito e disse aos seus companheiros de pescaria:

- Ontem eles não quiseram dançar ao som de minha flauta, não foi? Pois hoje eu é que não vou permitir que eles façam isso.

E tratou de cobri-los com a rede, impedindo assim que continuassem pulando.


Moral da Estória:

Quando encaram uma adversidade, existem pessoas que apenas ficam ondulando os braços e reclamando da vida, sem resultado algum. A verdadeira arte está em fazer a coisa certa, na hora certa.

Baseado no livro Fábulas de Esopo

Share/Save/Bookmark

9 comentários:

Mad Resgate disse...

Roneil

Parabens por acerta mais uma fabula, e levar a todos o nosso cotidiano em poucas palavras.
Reclamar da vida é muito fácil, o difícil é poder encarar, arregassar as mangas e fazer a diferença.
Parabens por compartilhar mais uma fabula de Esopo.
Um forte abraço
Mad

LISON COSTA disse...

SAUDAÇÕES!
AMIGO RONIEL, mais uma belíssima fábula, uma ótima lição, assim agem o individuo, astucioso, próprio do velhaco!
Parabéns por mais um excelente Post!
Abraços,
LISON.

Jackie Freitas disse...

Olá meu amigo Roniel!
Realmente, saber fazer das adversidades uma arte de superação é para poucos! Quantas oportunidades deixamos passar diante de nossos olhos e depois lamentamos e desejamos que o tempo volte para que possamos resgatar o que perdemos. Mas o tempo não volta nunca e as coisas se renovam e novos problemas surgem para nos despertar e fazer ressurgir o artista que há em cada um de nós, que sabe reverter tais adversidades em grandes aprendizados!
Parabéns pela bela fábula!
Grande abraço,
Jackie

Yoriko disse...

Roni, esta fábula é uma preciosidade. Mais uma grande lição, e uma profunda reflexão. Se fizermos tudo na hora certa e no momento certo, encontraremos a harmonia que precisamos em nossas vidas. Beijos. Obrigada.

Drauzio Milagres disse...

Manter a calma é fundamental para então podermos fazer as escolhas corretas.

Um abraço.

Drauzio Milagres

Cubo Mágico disse...

"Vivemos numa sociedade de vitimização, onde as pessoas sentem-se bem mais à vontade sendo vitimizadas do que erguendo-se sozinhas." [ Marilyn Manson ]

Esta é uma das frases mais realistas que alguma vez li... Achas que se encaixa na fabula? Penso que é a cereja no cimo do bolo..

Abraço

Guilherme disse...

Roni, gostei muito dessa fábula. Tem gente que não sabe lutar pelos seus ideais, e quer que tudo caia do céu. Valeu! Gui.

Mr.Jones disse...

opa amigo Roniel.
gostei e indiquei
abçs

Marcos disse...

Si eles tivessem dançado e pulado não teriam sido pescados..... legal

quantas pessoas reclaman de acontecimentos na sua vida; será por que deixaram algo para traz na hora certa (talvez estão sofrendo porque não dançaram e pularam na hora certa).

Postar um comentário

Comentem Que Eu Respondo

Related Posts with Thumbnails