segunda-feira, 31 de maio de 2010

A Fábula do Carregador de Água na Índia...


A FÁBULA DO CARREGADOR DE ÁGUA NA ÍNDIA


Um carregador de água na Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara a qual ele carregava atravessado em seu pescoço.

Um dos potes tinha uma rachadura. Enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do chefe, o outro chegava apenas com a metade da água.

Foi assim por dois anos, diariamente: o carregador entregando um pote e meio de água na casa do chefe.

Claro que o pote estava orgulhoso de suas realizações.

Porém, o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição e sentindo-se miserável por ser capaz de realizar apenas metade do que ele havia designado a fazer.

Após perceber que por dois anos havia sido uma falha amarga, o pote falou para o homem, um dia a beira do poço:

Estou envergonhado e quero pedir-lhe desculpas.

Por quê? Perguntou o homem.

- De que você esta envergonhado?

Nestes dois anos eu fui capaz de entregar apenas a metade de minha carga, porque essa rachadura no meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho da casa de seu senhor.

Por causa do meu defeito, você tem que fazer todo esse trabalho e não ganha o salário completo dos seus esforços. Disse o pote.

O homem ficou triste pela situação do velho pote, e com compaixão, falou: quando retornarmos para a casa do meu senhor, quero que percebas as flores ao longo do caminho.

De fato, a medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou as flores selvagens ao longo do caminho, e isto lhe deu certo ânimo.

Mas ao final da estrada, o pote rachado ainda se sentia mal porque tinha a metade e de novo, pediu desculpas ao homem por sua falha. Disse, então, o homem ao pote:

Você notou que pelo caminho só havia flores do seu lado?

Eu, ao conhecer o seu defeito, tirei vantagem dele e lancei sementes de flores no seu caminho. E cada dia, enquanto voltávamos do poço, você as regava.

Por dois anos eu pude colher flores para ornamentar a mesa do meu senhor. Sem você ser do jeito que é, ele não poderia ter esta beleza para dar graça a sua casa.


"Cada um de nós temos os nossos "defeitos", todos nós somos potes rachados". Porém, se permitirmos, poderemos usar estes nossos defeitos para embelezar as nossas vidas.

Nunca devemos ter medo dos nossos defeitos.

Se os reconhecermos, eles poderão causar beleza.

Das nossas fraquezas podemos tirar forças.


Autor Desconhecido

Share/Save/Bookmark

16 comentários:

sandra paula disse...

Amigo Roniel,mais um post maravilhoso,como digo,é gratificante fazer uma visita a seu blog.Reconhecer nossos defeitos é uma virtude,e muitas das vezes como na fabula,o que para nós é um defeito para alguém está sendo uma benção.Bjus amigo e fica com Deus

Calebe disse...

Que postagem bunita meu caro amigo Roni,
uma das mais belas na minha opiniao que vi por aqui.
Percebemos que a humildade precisa ser vivida para que dessas fraquezas retiremos forças.
O pote reconheceu toda a sua fraqueza e só assim pode entender o bem que fazia mesmo nao sendo perfeito.

Grande abraço to seguindo também

Yoriko disse...

Essa fábula é maravilhosa meu caro amigo. A sabedoria está em se acreditar que tudo pode ser mudado, e mesmo com o que pensamos estar errado, pode haver mudanças muito benéficas. Beijos. Obrigada.

Eninha Campos disse...

Roniel, sua fábula me fez pensar que pode ser nos defeitos que esconde o que se expresse na nossa personalidade.A nossa essência está presente quando somos espontâneos
Talvez(tenho quase certeza! ) as pessoas mais fascinantes são aquelas capazes de ser e permanecer naturais.
Belo post.
Abraço
Eninha

Wellington disse...

Cara! Muito boa essa fábula. Nem tudo aquilo que está quebrado é imprestável. Valeu!

Massoterapeuta no rio de janeiro disse...

Maravilha Roniel !
Façamos do limão uma limonada !
Obrigado Roniel , contador de fábulas !

um grande e forte abraço.
Francisco

Sissym disse...

Isso me fez lembrar que hoje em dia os jogos para-olimpicos mostram como as pessoas podem ser capazes de competir, conquistarem medalhes, vencerem obstaculos. Enquanto pessoas inteiras podem estar paradas e reclamando da vida.

Silvana Marmo disse...

Olá amigo Roniel,
Em um dia tão atribulado como hoje na comunidade DiHITTiana acredito que a fabula sempre cai bem.
Amei a fabula e concordo quandovoce diz pois nem sempre os defeitos são o que parecem ser.
Boa Noite,
meu carinho

Fabio Lucio Blog disse...

Muito bom amigo... grande lição... acredito que nada é por acaso.

Herval Candido disse...

Amigo Roniel

Parabéns pelo belo post. Li essa história há muitos anos atrás e posso inferir que muitos se sentem como esse pote rachado, porque ainda não descobriram o seu real valor. Todas as pessoas são especiais e só precisam descobri qual é o verdadeiro propósito de suas vidas.

Forte abraço,

Herval

Marcos Mariano disse...

que bela lição amigo

realmete é difícil enchergar
o lado positivo em meio aos nossos
defeitos.

bela lição parabéns

Jackie Freitas disse...

Olá meu amigo Roniel!
Excelente! Precisamos enxergar beleza em nosso ser, nas qualidades e defeitos...como na linda fábula, esses "potes" nos dão o equilíbrio que precisamos.
Grande abraço, amigo,
Jackie

Mari Martins disse...

Belíssimo post meu amigo! Parabéns pela escolha! Somos todos imperfeitos, mas somos o que somos.
Beijos,
Mari - http://marimartinsatemporal.blogspot.com

Daniel disse...

Oww, a história é bem louca!!

Até a metade do texto eu tava pensando comigo "pq será que o cara não, simplesmente, passou um durepox na rachadura do vaso e resolveu o problema?"

Chegando até o fim, percebi o motivo.

Lindas metáforas e grande aprendizado com o texto

Parabéns

Daniel
www.ideiascorporativas.wordpress.com

Joselito disse...

Bem, no caso pode até ser, mas, nem todos os defeitos tem o seu lado bom, a maioria dos defeitos acaba não ajudando.

Paulo disse...

Ótimo Post.
VLw

Postar um comentário

Comentem Que Eu Respondo

Related Posts with Thumbnails